A prorrogação das dívidas de crédito rural para o agronegócio diante do Coronavírus

A prorrogação das dívidas de crédito rural para o agronegócio diante do Coronavírus

A pandemia do novo coronavírus ocasionou um efeito cascata em quase todos os setores do país. Com o agronegócio não foi diferente. No entanto, a boa notícia é que o Banco Central resolveu prorrogar o vencimento de dívidas de crédito rural diante da situação de calamidade.

Mas afinal, o que mudou e quais são os benefícios que recaem sobre os produtores nesse momento? Vamos explicar quais as mudanças previstas, bem como o prazo de negociação dos investimentos feitos por empresas e autônomos que atuam no ramo do agronegócio.

Como a pandemia da Covid-19 afetou a economia a nível mundial

Decretada a pandemia pela Organização Mundial da Saúde (OMS), logo governos do mundo todo passaram a se mobilizar para decretar isolamento social. A quarentena implicou na mudança de rotina de milhões de pessoas que agora permanecem em suas casas, desempenhando suas atividades em home office.

Demissões em massa, redução na jornada de trabalho, queda na produção, fechamento temporário de estabelecimentos moldam um cenário que deixará reflexos por muitos anos.

A expectativa do Banco Mundial é de que o PIB do Brasil reduza cerca de 5% em virtude do coronavírus.

Entre os setores mais afetados estão o varejo, a indústria e o financeiro, que perecem com a volatilidade do mercado.

Mudanças no prazo para quitação de dívidas do crédito rural

Os cinco maiores bancos, Banco do Brasil, Bradesco, Caixa Econômica Federal, Itaú Unibanco e Santander farão prorrogação das dívidas para contratos vigentes, que estejam em dia com os pagamentos e limitados aos valores já utilizados.

O objetivo principal da medida é amenizar os efeitos negativos que a pandemia COVID-19 causou tanto no emprego, quanto na renda das famílias, causando enorme instabilidade financeira.

Acredita-se que essas condições irão beneficiar aproximadamente 44 mil contratos que foram feitos por produtores de hortaliças, frutas, flores e plantas ornamentais.

Dessa maneira, produtores rurais podem ter mais folga no planejamento financeiro a curto e médio prazo, além de garantir que suas parcelas sejam pagas sem atraso. Até lá, a economia vai ter reaquecido aos poucos e o fluxo de comercialização será gradativamente restabelecido.

Liberação de crédito rural

Além da extensão do prazo para pagamento das contas, o Banco do Brasil liberou mais de R$25 bilhões para linhas de crédito destinadas ao agronegócio.

Vale ressaltar, neste caso, que qualquer pessoa que esteja ligada ao setor pode fazer a solicitação desse empréstimo: tanto produtores rurais físicos autônomos, quanto empresas que atuam no segmento.

Para conter os reflexos da crise, o governo federal tem sancionado diversas Medidas Provisórias que liberam a contratação de linhas de crédito emergenciais. Fique atento às notícias e se informe sempre por fontes confiáveis.

Embora seja um momento crítico, o cenário só reforça a importância do isolamento social e medidas preventivas que minimizem o risco de contágio pelo novo coronavírus.

Quer saber mais sobre nossos conteúdos? Então continue acompanhando o nosso blog e tire todas suas dúvidas a respeito de assuntos relacionados ao direito empresarial e ao agronegócio. Em caso de dúvidas, entre em contato conosco.

Compartilhe com seus amigos!